Algarve - A Região

 

Bem-Vindo ao Algarve. Para onde quer que as atenções se virem, as cores da serra e do mar estão sempre presentes, numa aguarela em que ressaltam pontos dourados, verdes e azuis. A região é extensa e simpática, com clima mediterrânico, marcada pelos odores da maresia e das flores silvestres.

Um passeio a pé pelo emaranhado de ruas, vielas e escadinhas do interior algarvio é a melhor forma de conhecer esta zona da região. Perca-se ainda na vastidão da orla litoral, tendo como fundo as mais belas praias da Europa, onde se avistam os recortes dos rochedos e as facécias das sombras que eles deixam no areal.

Depois dos encantos da paisagem, os aromas e sabores da cozinha tradicional algarvia. Cardápio confeccionado com peixe e marisco, caso da caldeirada de peixe ou da cataplana de amêijoas, ou com toda a tradição da comida serrana, como os cozidos de grão e de couve. O elenco das ofertas passa também pelas afamadas delícias regionais, representadas pelo figo, amêndoa, alfarroba e pela aguardente de medronho, destilada nas zonas da serra em velhos alambiques cobreados.

 

 

Atravessar o Algarve, erguido entre locais de elevado interesse ecológico, ricos em biodiversidade e ecossistemas, é caminhar por séculos de tradição, ainda hoje intacta. O artesanato que os artífices algarvios habilmente manufacturam, recorrendo a técnicas ancestrais, manifesta-se na olaria, cestaria, nas peças de cobre, latão e nos trabalhos de linho e de juta. 
A dois passos da tranquilidade do interior, as animadas noites algarvias. Bares, discotecas, marinas e casinos asseguram a diversão dos mais foliões. 
O património construído é outro ponto de paragem obrigatória. A arquitectura das casas caiadas, com platibandas coloridas e chaminés de beleza inigualável, os campanários das igrejas e os museus, que revelam excertos dos antepassados do povo algarvio, contribuem para a singularidade deste destino.

 

 

Recomenda-se também a prática de desporto ao ar livre, seja nos campos de golfe verdejantes, nas infra-estruturas que a região oferece para a actividade física, na costa ou nos montes algarvios, que depois dos rigores do Inverno, e ainda antes dos primeiros sinais primaveris, vestem-se de um branco róseo, devido às amendoeiras em flor que salpicam o horizonte.

Cultura

Um modo muito próprio de fazer, de sentir e de festejar

Muito mais do que praias magníficas e um clima abençoado, o Algarve tem para oferecer um riquíssimo património etnográfico que vale bem a pena partilhar com os prazeres do Sol e do Mar. Ou então dedicar-lhe um tempo próprio.
Porque no Algarve há hábitos seculares, tradições ainda vivas e património construído, que podem ser usufruídas ao longo de todo o ano. Desde modos tão particulares de celebrar ocasiões festivas (como a Páscoa, o Natal ou a Primavera) até testemunhos edificados de épocas antigas e recentes, passando, naturalmente, pelas irresistíveis iguarias que fazem a Gastronomia da região, os algarvios deixaram, ao longo dos séculos, um legado tão precioso que se impõe conhecer intimamente.

Um pouco de História

No Algarve as suas férias ganham uma dimensão histórica.

Um pouco por toda a região é ainda possível desvendar encantos e segredos da história de Portugal, que o tempo não apaga.

As férias passadas no Algarve servem também de pretexto para uma viagem no tempo, ao encontro de numerosos testemunhos de povos e culturas que ao longo da história se cruzaram com a região.

Da presença romana à longa herança muçulmana, da reconquista cristã à epopeia dos Descobrimentos portugueses, não faltam motivos para redescobrir sinais de um passado histórico marcante.

As marcas da presença humana no Algarve recuam a tempos imemoriais. Exemplos disso são os milenares vestígios neolíticos e as mais recentes, mas não menos interessantes, estações arqueológicas romanas, abertas a visitas. A visita ao passado da região e à sua valiosa história faz-se também percorrendo os diversos museus arqueológicos, que encerram um vasto património ainda por descobrir.

Herdeira de antigas civilizações, a região algarvia foi igualmente ponto de passagem de outros povos, numa ligação quase sempre facilitada pelo imenso mar que banha as suas costas.
Os mais de cinco séculos de influência árabe marcaram para sempre os destinos da região, a começar pelo próprio nome: Al-Gharb, O Ocidente. Esta presença, que se prolongou do séc. VIII ao séc. XIII, ainda hoje se encontra bem patente nos nomes das povoações, na agricultura, na arquitectura dos monumentos, nos rendilhados dos terraços e chaminés ou no branco da cal que teima em cobrir o casario de muitas localidades algarvias.

Silves assume então a centralidade da região, fruto de uma estratégica localização geográfica.

Em meados do séc. XIII, as terras algarvias são as últimas de Portugal a serem conquistadas ao domínio muçulmano. Após longos avanços e recuos, a reconquista cristã tem a preciosa colaboração dos Cavaleiros da Ordem de Santiago, liderados por D. Paio Peres Correia, para no reinado de D. Afonso III pôr cobro à presença árabe no Algarve e unir a região ao reino de Portugal. Para além de Silves, Tavira e Faro, actual capital algarvia, são definitivamente tomada aos mouros. Fundava-se assim o Reino de Portugal e dos Algarves.

Mais tarde, no início do séc. XV, o início da expansão marítima portuguesa dá novo vigor às terras e gentes algarvias. Lagos e Sagres ficam para sempre ligadas ao Infante D. Henrique e aos Descobrimentos. Ainda hoje, na Ponta de Sagres, um gigantesco dedo de pedra aponta para o oceano Atlântico numa clara alusão à coragem dos navegadores algarvios, como Gil Eanes, que se faziam ao mar à procura de novos mundos para dar ao mundo.

Marcas desta história tão longínqua, mas ainda tão presente na alma algarvia, encontram-se espalhadas por toda a região.

Visitar Aljezur, Lagos, Silves, Faro, Tavira, Castro Marim e Alcoutim é descobrir em cada museu, igreja, fortes e castelos a grandeza da história portuguesa, as suas gentes e tradições.
 

Localização

Situado no extremo Oeste da Península Ibérica, no Sul de Portugal, o Algarve é facilmente distinto do resto do país, não apenas devido à sua localização periférica, mas também pelas suas características morfológicas e geológicas.

A região do Algarve cobre 6% da área total de Portugal e tem cerca de 5,000 km2 de largura. Devido à sua incrível diversidade, condicionada pela geologia, o Algarve pode ser dividido em três regiões principais: Serra, Barrocal e Litoral.

Como Chegar

Devido à sua localização periférica, o Algarve usufrui de boas ligações internas, com outras cidades portuguesas, e externas, com os restantes países do mundo. Em termos de transportes aéreos, as diversas companhias nacionais garantem deslocações regulares, fazendo da região um ponto de escala privilegiado de partidas e chegadas.

O Algarve possui também uma boa rede viária, composta por Auto-estradas (AE), Itinerários Principais (IP), Itinerários Complementares (IC), Estradas Nacionais (EN) e Estradas Municipais, eficaz para viagens de autocarro ou em viaturas alugadas. 
O transporte ferroviário é outra das alternativas para quem pretende visitar a região, disponibilizando a CP – Comboios de Portugal uma vasta rede de comboios que assegura a cobertura do território continental.

Acessos Internacionais

Aeroporto de Faro 
Tel.: 289 800 800 (Geral)
Tel.: 289 800 801 (Informações sobre voos até às 24H)
Tel.: 289 800 617 (Informações sobre voos depois das 24H)
http://www.ana-aeroportos.pt/ANA/HomePageAna.htm
Eixo Viário Internacional 
N431 (Huelva, Espanha) / A22 (Via do Infante, Portugal)
Porto de Cruzeiros de Portimão
Tel.: 282 400 680

Acessos nacionais

Eixos Viários 
IC1, N2, N120, N122

Comboios 
Alfa Pendula
r: comboios topo de gama de ligações rápidas e cómodas 
Intercidades: serviço que oferece ligações em diversos eixos, entre os quais o de Lisboa-Algarve
Inter-Regionais
Autocarros 
Expressos: a partir de várias localidades

Acessos no Algarve 
Principais Eixos Viários 
A22 (Via do Infante), N125
Comboios 
Ligação entre Lagos e Vila Real de Santo António

 

Capitais Europeias Tempo de Voos Distâncias Quilométricas
Amesterdão 02h55 2590km
Atenas 03h20 4577km
Berlim 03h30 3290km
Berna 02h45 2323km
Bruxelas 02h30 2207km
Copenhaga 03h00 3322km
Dublin 03h00 3160km
Estocolmo 04h30 2979km
Helsínquia 06h55 5020km
Londres 02h30 2320km
Luxemburgo 02h50 2420km
Madrid 01h30 729km
Oslo 03h10 3876km
Paris 02h30 1908km
Roma 02h45 2802km
Viena 03h20 3293km

 

O Clima

O Algarve desfruta, ao longo de todo o ano, das melhores condições climatéricas da Europa. Caracterizada por escassos períodos de precipitação, geralmente concentrados entre Novembro e Março, e por uma alta insolação, a região algarvia apresenta óptimas condições meteorológicas para o desenvolvimento da actividade turística.
Durante o Verão as temperaturas são muito elevadas, facto que propicia o turismo de “Sol e Mar” e que eleva o Algarve como um autêntico paraíso para banhistas. Esta é uma região debruada a areia branca e fina, que se estende por quilómetros de costa, e munida de um mar calmo, com temperaturas tépidas que rondam os 22 graus centígrados no período estival.     
Devido ao seu relevo e à sua posição geográfica, o Algarve recebe variadíssimas influências climáticas: do continente europeu ao norte de África, do Oceano Atlântico ao Mediterrâneo. As temperaturas máximas oscilam, ao longo do ano, entre os 15 e os 31 graus centígrados, não se registando mínimas negativas no Inverno, estação em que os dias solarengos induzem à visita de turistas oriundos dos países do norte da Europa.  
 
Temperaturas médias 
Ar no Verão: 24.ºC a 29ºC
Ar no Inverno: 15.ºC a 18ºC 
Mar no Verão: 21ºC a 24ºC
Mar no Inverno: 15ºC a 19ªC